Motivo de força maior

This reading was recorded by Alessandro Mistrorigo for Phonodia in Perugia, Italy, on the 2nd of Dicember, 2013.

Read by José Eduardo Degrazia on 2 December 2013

Motivo de força maior

Às vezes uma canção
de origem obscura me invade,
uma ventania da pampa,
uma nudez marinha de caracóis,
um sono de nuvem bojuda de chuva.

A fala da mulher de seios morenos
no meio da noite com besouros zumbindo
cor azul d céu ou verde céspede,
floresta de campânulas, campainhas sonoras,
e gritos intensos de paixão na noite da mata,
ritos de gatos de amores violentos em cima dos telhados,
vozes veludosas de violeiros nos bares de subúrbio,
gemido de menino doente tossindo na madrugada,
jogadores no pano verde jogando suas vidas no carteado,
bêbados improvisando cantos para a lua,
operário esperando o ônibus na madrugada,
E eu, atônito e desperto, escrevo
a ordem peremptória das musas,
psicografo a mensagem noturna
de uma força maior que me incendeia.

from Em Mãos III (Ed. L&PM: Porto Alegre, 2012).

Share this Poem with your co-workers or friends