Silêncio

This reading was recorded by Alessandro Mistrorigo for Phonodia in Perugia, Italy, on the 2nd of Dicember, 2013.

Read by José Eduardo Degrazia on 2 December 2013

Silêncio

Não penses que este silêncio
é simples ausência de vozes,

há o espanto da flor nascendo
abismo de pássaro noturno

riscando o espelho furtivo da memória.
(O silêncio é semente de algo mais antigo.)

No silêncio a vivência adelgaça
uma realidade de fruto.

Não penses que este silêncio
é simples ausência de vozes.

from Cidade Submersa (Ed. Movimento: Porto Alegre, 1979).

Share this Poem with your co-workers or friends