Portuguese

Imitação

imerso no imenso espelho
céu de mil mapas
espelho, areia, cacos

vicário em textos noturnos
a pele negra do céu
texto, mapa e areia

penso no mapa múltiplo
página de areia negra
letras, céu, nada

Tomo café

Entre restos da última
refeição e xícaras sujas,
aqueço o café para a longa
espera dentro da noite.
Talvez alguém sinta
o homem a esvair-se
e bata alucinadamente à porta,
uma chuva caia repentina.
Provavelmente alguém estará rezando.
Algumas pessoas mostrarão indiferentes
mais um dia passado no calendário.
Abrirei a porta e a janela
para que os fantasmas entrem na sala.
----------------O café esfria.
----------------Quem me fará companhia?

A cada dia

Vamos morrendo um pouco a cada dia,
mas a cada dia vamos vivendo um pouco mais,
e o nosso sangue a bater em nossas veias
é um mar primordial que se derrama na praia
e nos alimenta com seus sons e seus sais.

Quando caminho na estrada ou quando amo,
sinto o meu coração bater forte no peito,
como um pássaro no ninho, ou um rio no leito,
feito um mar de vinho ou de leite.

Não me importa morrer dessa maneira,
pensando que a vida vale a sempre a pena,
vivendo em cada minuto a vida inteira,
vivendo a vida inteira em cada minuto.

Viver a vida num ritmo absoluto,
sabendo que a vida é alegria e luto.

Vivendo sabendo que a visa se esvai
faz de cada um de nós um ser especial,
e não importa se de noite um corvo
na nossa sala nos diz nunca mais.

Vamos morrendo um pouco a cada dia,
mas a cada dia vamos vivendo um pouco mais.